Faturamento do comércio eletrônico cresceu 13% no período de Natal – Época NEGÓCIOS | Empresa

0
129
E commerce ; vendas online ; compras online ; shopping online ; vendas pela internet ; compras pela internet ;  (Foto: Dreamstime)
E commerce ; vendas online ; compras online ; shopping online ; vendas pela internet ; compras pela internet ; (Foto: Dreamstime)

(Foto: Dreamstime)

O faturamento do e-commerce cresceu nominalmente 13% este ano no período de Natal somando R$ 8,7 bilhões frente aos R$ 7,7 bilhões registrados no mesmo período do ano passado. O número de pedidos também se expandiu 13,3%, de 16,83 milhões para 19,06 milhões. O tíquete médio gasto pelos consumidores caiu 1%, de R$ 462 para R$ 457. Com isso, o e-commerce deve fechar 2017 com um crescimento próximo de 10%, segundo previsão da Ebit, consultoria especializada em comércio eletrônico.

imagem27-12-2017-20-12-25saiba mais

Você viu?

O levantamento da Ebit considerou as vendas do e-commerce entre 15 de novembro e 24 de dezembro, incluindo o período da Black Friday, que neste ano correspondeu a 25% do faturamento do setor no período. Os números vieram em linha com a projeção da Ebit.

“A única surpresa foi a elevação no volume de pedidos, que cresceu 1 ponto percentual a mais do que esperávamos, mas com a retração no tíquete médio, o faturamento ficou dentro da estimativa da Ebit para o período”, afirma Pedro Guasti, CEO da Ebit.

Além dos descontos praticados durante a Black Friday, a queda no tíquete médio reflete também a deflação da cesta de produtos do e-commerce, medida pelo Índice FIPE Buscapé. Os preços estão em queda há 12 meses consecutivos e a expectativa é de manutenção da tendência para dezembro. “O índice deve fechar o ano com retração de 2,5%. Para o e-commerce, esse é um dado muito relevante, pois mostra que a alta no faturamento está apoiada no volume de pedidos”, explica Guati.

Entre os produtos mais vendidos, o destaque foi para a categoria telefonia (que inclui celulares e smartphones), que representou 21% do faturamento do e-commerce no período. O segmento casa e decoração também registrou uma participação muito expressiva, com 10,4% dos pedidos e 8,3% do faturamento. “Foi um ano positivo para o e-commerce. As vendas surpreenderam no Dia dos Pais e Dia dos Namorados, fazendo com que o setor retomasse o crescimento de dois dígitos, cuja sequência foi interrompida em 2016, por conta da crise econômica”, diz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here